LUCIANA EZARANI

LUCIANA EZARANI é atriz, diretora, professora e produtora cultural, formada pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro em Artes Cênicas e em Direito pela UCAM. É pós-graduada em Direito do Trabalho e Arte-terapia. Atua no Rio de Janeiro há 15 anos, executando e levando atividades culturais como espetáculos e oficinas a todo território nacional. Criou o Grupo Teatral Aslucianas (setor cultural e artístico/2003) há 12 anos, desenvolvendo uma pesquisa contínua sobre o uso transversal de ferramentas artísticas e culturais nos processos de transformação e educação com ênfase para a arte cômica popular, que ganhou força a partir do reconhecimento de instituições renomadas através de parcerias como Sesc, Funarte, Funarj e algumas secretarias de cultura  do Paraná, Espírito Santo, Ceará e Rio de Janeiro e prêmios recebidos como Prêmio Hortolândia de Teatro, Troféu Formiguinha (2011,2012, 2013 Aracati/CE), prêmio Bussunda (Resende/RJ), 4 prêmios de direção, 6 prêmios de atuação e 8 prêmios de autoria. Atualmente, além dos espetáculos e oficinas e da direção do Grupo Teatral Aslucianas, formada pelo Curso de Formação de Gestores Publicos e Agentes Culturais oferecido pelo Minc e Sec/RJ, com ênfase na criação de projetos de economia criativa.

             LUCIANA GIACOMAZZE

LUCIANA GIACOMAZZE é natural de Americana/SP, é atriz, professora e produtora cultural, formada pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro em Artes Cênicas. É pós-graduada em Arte Sacra. Atua há 15 anos no setor cultural, sendo fundadora do Grupo Teatral Aslucianas (setor cultural e artístico/2003) há 11 anos. Começou sua carreira sendo indicada ao premio de melhor atriz na Fase Municipal do Mapa Cultural Paulista com o espetáculo O Castelo de Mulumi – 1999 . Atuou sob a direção de Luiz Furlaneto no espetáuculo A Pécora – 2002. A partir de 2003 trabalhou em diversas cias teatrais cariocas nos espetáculos A Nordestina Farsa do Mestre Pathelin – 2003, Carlitos – 2004, O Santo e a Porca, 2005, Amor por Anexins -2005 (Prêmio Melhor Atriz de Rua – VII Festival de Teatro de Guaçui-ES), Seria Trágico se não fosse cômico- 2006 ,Chapeuzinho Vermelho – 2006,  Sonhos de uma noite de verão – 2007/2008, O Noviço – 2007/2008 , Memórias Póstumas – a direção do defunto-autor – 2008/2009. Com o Grupo Teatral Aslucianas atuou nos espetáculos Vidas Cíclicas – 2004 Prêmio Melhor Atriz – V Festival de Esquetes Elbe de Holanda  e  I Festival de Esquetes do Cedim, Sorrio Maravilha- 2010, A FALSA MAGRA- 2009, A DESCOBERTA DOS SENTIMENTOS – 2010. Em 2015, estreou o espetáculo Essas Mulheres... e em 2016, Cordel da Morte Morrida

                                DRIKA COSTA


Drika Costa  é natural de Salvador/BA, é atriz, cantora, dubladora e produtora cultural, formada pela Casa de Artes de Laranjeiras.  Atua há 18 anos no setor cultural. Iniciou sua carreira como cantora e em 2000 se tornou atriz profissional. Completou o Curso de Formação Profissional de Atores pela CAL / RJ e fez vários cursos de especialização com renomados diretores como Gracindo Junior, Paulo de Moraes, Aderbal Freire Filho  e outros. Entre os principais trabalhos estão:  SORRIO MARAVILHA (2010), A DESCOBERTA DOS SENTIMENTOS (Atriz e produtora) prêmio de Melhor Atriz – Festival de Rio Bonito, 2010Memórias Póstumas (atriz e produtora) 2009, Falsa Magra (atriz e produtora)- Prêmio de melhor atriz no Festival de Resende / RJ – 2008, Depile (atriz e produtora)- Festival de Rio das Ostras 2008  e  2007  - Indicação de melhor atriz Festival de Resende/ RJ, Amor por Anexins (atriz e produtora) , Carlitos -Festival de Teatro de Rio das Ostras - Prêmio melhor espetáculo / Indicação de melhor atriz -  2005/2006 , Um Baile de Máscaras (Ópera) Direção: Aderbal Freire Filho - Teatro Municipal do Rio de Janeiro -  2004, Fernando ou o cinto acusador Moacir Chaves - Teatro do SESI – 2003, Marat  Sade Paulo de Moraes - Fundição Progresso -  2000, Aurora da minha vida / No Natal a gente vem te buscar Olayr Coan - CAL  - 1999, Floresta Brasileira Marco Pollo - Teatro João Caetano 1997 

ANGEL BEATRIZ

Angel Beatriz é atriz mirim desde os 4 anos de idade. Atua como atriz e bailarina  (ballet clássico e sapateado). Trabalhou em espetáculos como “O Principe do  Egito”, “Peter Pan” “A Bela Adormecida” e “O Rei Leão” (personagem Nala), no Teatro Odylo Costa Filho, UERJ. No cinema fez o longa “O Nome do Jogo”. Sob a direção de Adressa Koetz atuou em “Casa de Bonecas” e “Entre nós- releitura de Entre 4 paredes”. Com o Grupo Teatral Aslucianas atuou em “A Descoberta dos Sentimentos”, personagem Ivonete, “Sorrio Maravilha” (personagem 1), participando do Festival de Curitiba e o Festival dos Agulhas Negras, “Depile”, “Naturaleza: uma viagem para salvar o planeta” (personagem Ray), “O Folclore do Amor” (personagem Cantiga), no Festival de Curitiba 2011 e 2012 e no VII FESTMAR, em Aracati, no Ceará.Recebeu a indicação de melhor atriz coadjuvante no Festival Nacional de Teatro de Guaçuí, 2011 por seu trabalho em O Folclore do amor. Em 2012, estreou o espetáculo “Do Oiapoque ao Chuí, o Brasil é bem aqui!”  e  “Contarolando Luiz Gonzaga” em 2013 fez o espetáculo “Cordel da morte morrida,e as vezes matada” com direção de Luciana Ezarani. Em 2014, estreou O que é que esse baiano tem?. Em 2015, integra o espetáculo Essas Mulheres...

 

                                             MARI JACÓ

  Mariana Busnardo Jacó  é  formada na CAL  com 14 anos de experiencia teatral. Parcipou de diversos espetáculos como 451 FAHRENHEIT   direção: Felipe vidal     MEFISTO : direção:  Ole erdmann   MEDÉIA  ; direção:  Celina sodré  O TEMPO EOS CONWAYS   direção: Renato icarahy   OS FUZIS DA SRA CARRAR   direção: Cecil thiré    THE WILD PARTY  direção; Paulo afonso de Lima  (musical)    O AUTO DOS CORVOS BERRANTES  direção: Fernando britto CHAMPAGNE  direção;  Fernando Reski       A MAGIA DA CASA DE BRINQUEDOS direção: jorge Jacó e ana  Delmar   O MÁGICO DE OZ   direção; wladimir morellembaum       A HISTÓRIA CLOWN  direção; Fernando bonacin  POCAHONTAS   direção: Néia  Paes   A REVOLTA DAS BONECAS   direção  : Néia Paes NATURALEZA  : UMA VIAGEM PARA SALVAR O PLANETA  direção : Luciana Ezarani      O FOLCLORE DO AMOR  direção Luciana Ezarani  participação no Festival de curitiba  e no festival de aracati  2011. Recebeu o premio de melhor atriz coadjuvante no Festival de Teatro de Guaçui 2011. Em 2012, estreou o espetáculo “Do Oiapoque ao Chuí, o Brasil é bem aqui”

Alexandre Longo


Alexandre Pinheiro Longo, iniciou seus estudos em 1983 na Escola de Música Villa Lobos até graduar-se em Canto pela UFRJ em 2001 Sob a regência de André Cardoso, interpretou, em 2002, Ernesto - da ópera Dom Pasquale, de Donizetti, junto a Orquestra da Escola de Música (ORSEM).Premiado com o certificado de Prata, em 2003, por sua participação na Olimpíada de Coros, na Áustria, integrou a equipe do grupo Brasil Essemble, participou com o mesmo grupo como corista e solista do CD “Imagens do Brasil”, sob a regência de Maria José Chevitaresse.Participou também como solista nos grupos Sacra Vox, sob a regência de Valéria Mattos, em “Stabat Mater”, de Rossini, e  do “Vespro della Beata Virgine”, de Monteverdi, e desde 2004 integra o Coro Sinfônico do Rio de Janeiro, sob a regência e preparação de Julio Moretzsohn no qual em 2008, participou do Festival de Música para o Cinema, sendo regido na ocasião por Ennio Morricone. Leciona técnica vocal, Canto Lírico, Popular e Belting, em grupo ou individual.Tem cursos de formação nas áreas de técnica vocal, saúde vocal e fonoaudiologia pela Faculdade Estácio de Sá; Curso de extensão acadêmica (Canto, Opera e Oratória) com o Professor Rolland Herman e Improvisação Instrumental e Harmonia Funcional na UFRJ, dentre outros.NAS ARTES DRAMÁTICAS E CÊNICAS , em outubro de 2009, sob orientação de Silvia Carvalho e Vinícius Melich, participou do Musical "O  que será?", baseado na Ópera do Malandro, de Chico Buarque, no qual interpretou os personagens Duran e Geni; e Pe Manoel do Salvador de Calabar.Na teledramaturgia, Alexandre integra o elenco dos webcapts Gemminies, novela exibida no endereço eletrônico www.tvhare.com  com os personagens Nifikus – um anjo-cantor e Tomásia, uma adorável senhora lusitana cheia de energia. É também merecedor de seu crédito a interpretação e a voz do “Chefe” que conduz a trama.Desde 2011 atua e auxilia musicalmente o Grupo Teatral Aslucianas.

 

Gustavo Fonseca

GUSTAVO FONSECA estudou Artes Cênicas - Teatro. na UNIRIO, Teoria da Dança na UFRJ, Canto na E.M. Villa Lobos. Fotógrafo pelo curso Paço da Imagem. e técnico em administração pelo C.S.S.Começou seu estudo artístico em 1997 através do curso de formação profissionalizante no Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernandes, em Montes Claros - MG onde estudou Flauta Doce, Teclado, Violão, Teatro, e Artesanato. Em 2006, se mudou para o Rio de Janeiro - RJ, (onde reside atualmente) e neste mesmo ano ganhou prêmio de Melhor Direção e Melhor Esquete em "O cientista solitário" texto de sua autoria no concurso de Esquetes do Embaixador.Em 2010 iniciou a carreira acadêmica e participou de pesquisas relacionadas a Melodrama e Fotonovela, e Teatro Musical. Entre seus principais trabalhos os espetáculos "Hairspray", "Dom Quixote", "O circo Fechou", como ator/bailarino, através da Escola de Dança Spinelli. Produziu, atuou e assina co-autoria da peça "De Véu e Grinalda" sob direção de Victor Brennand. Que teve estréia em 2011 no Teatro Solar de Botafogo, e uma curta-temporada em Montes Claros - MG.Atuou no curta "O carioca" sob direção de Mariana Kissa, Roteiro de Luciana Ribeiro, Mariana Kissa e Mariane Azeredo.Faz parte do grupo de pesquisa em teatro de rua Aslucianas, como ator/músico/cantor no espetáculo "Do oiapoque ao Chuí: o Brasil é bem aqui!", "Um amor de Carnaval", e "Cordel da Morte morrida (e as vezes, matada)" Atualmente dedica seu tempo como diretor/intérprete, no espetáculo de teatro dança "Redoma", e "Entre Rinhas de Cachorros e Porcos abatidos". Em 2014, estreou como diretor e ator o espetáculo "A pequena loja de horrores""

                                                                                  BRUNO MENDES

Ator e cantor, com experiência em Teatro e Shows. Já se apresentou em casas como: Teatro Rival, Lapa Café, Teatro SESI, CCJF, SESC, entre outros. Atuou em A Vida Como Ela É Texto: Nelson Rodrigues. Personagem: Lauro. Direção: Robson Sanches. Três apresentações no Teatro SESI, em Julho de 2011. A Alma Boa de Setsuan Texto: Bertolt Brecht. Personagem: Yang Sun. Direção: Robson Sanches. Duas apresentações no Teatro SESI, em Novembro de 2011. Faust Texto: Charles Gounod. Cia Lírica. Balé do espetáculo e elenco de apoio. Direção: Ana Vanessa. Em cartaz no CCJF (Centro da Justiça Federal) durante os meses de Novembro de 2011 e Julho de 2012. Vamos no Tempo Voltar Musical. Trechos de musicais famosos da Broadway. Direção Cênica: Menelick de Carvalho. Direção Musical: Mirna Rubim e Jardel Maia. Em cartaz na CAL (Casa de Artes de Laranjeiras) nos dia 18,18 e 20 de Novembro de 2011. A Pequena Sereia Musical Infantil. Personagem: Rei Tritão. Adaptação e direção: Alex Roger. Produção: Grupo Cappa. Em cartaz durante o mês de Junho de 2012 no teatro Max Nunes e Agosto de 2012 no teatro dos Grandes Atores. Com o Grupo Teatral Aslucianas, está no espetáculo UM AMOR DE CARNAVAL 

Raphaela Morret

Raphaela Morret é formada pela escola de percussão Baqueta Clube de Ritmistas e pela Percussamba, escola de ritmistas do G.R.E.S. Império Serrano. E trabalha com este ramo há 8 anos. Concluiu o curso de Samba e Choro na instituição Meu Kantinho - Centro de Cultura (MEKCC) e participou de inúmeras oficinas de percussão, incluindo Bloco Quizomba e Monobloco, com Mestre Lucas Ciavatta. É auxiliar de bateria no G.R.E.S Arranco do Engenho de Dentro e Co-diretora da ala dos chocalhos do G.R. Cacique de Ramos, além de tocar com outras 11 escolas, incluindo as de SP. Foi percussionista da Orquestra Filarmônica da Vila da Penha (FilaVipe) durante 4 anos, como também foi convidada a tocar em 3 apresentações com a Cia de Dança Contemporânea da UFRJ. Tocou com o grupo Batuque Digital, banda Neon e banda Siu. Em 2012 começou a estudar contrabaixo elétrico na instituição Musitec, onde veio a ser baixista até hoje das bandas Safira e Digitto Zero. Atualmente é estudante de Produções Sonoras na instituição Musitec e atua como monitora em dois projetos de música, ao lado do produtor musical Luiz Nascimento. Atua no espetáculo BELEZA NEGRA desde 2012 e em 2014 estreou como atriz e musicista com o Grupo Teatral Aslucianas no Festival de Teatro de Curitiba, com o espetáculo "O que é que esse baiano tem?". É surdista na Banda Sambarelove. 

GISELA MACEDO


Gisela Macedo, licenciada em teatro, desenvolve seus trabalhos pedagógicos e culturais na sua empresa "Agitos Criativos", onde oferece contacao de histórias, oficinas de artes e um leque de atividades. Participou de vários espetáculos como As Bondosas, Circo Poético, performances no universo do poe, Castelinho do Flamengo, Hércules o musical, Teatro dos Grandes Atores a poesia está viva, participou de circuitos pelas lonas culturais com os Três Porquinhos e Chapeuzinho Vermelho. Fez diversas campanhas publicitárias de baiana ( o do fantástico contra o fumo )e a campanha da Avon contra a violencia familiar,(foto novela), Comercial campanha contra o Crack. Com o Grupo Teatral Aslucianas atuou nos espetáculos Cordel da Morte Morrida (e, as vezes, matada) e O que é que esse baiano tem? 

                                               VINICIUS MOUSINHO

Vinícius Mousinho é ator de cinema e TV desde 2010, já atuou em curtas-metragem como O Tratamento (dir: Cássia Lobão) e Ensaio (Dir: Altieres Estavan), entre outras participações no cinema paraibano. Trabalhou em campanhas publicitárias do Shopping Boulevard - Campina Grande - PB; Bar do Cuscuz - Campina Grande - PB entre outros. Iniciou sua vida no teatro de rua junto ao grupo as Lucianas no presente ano (2014) tendo participado recente mente do Festival de Teatro de Curitiba (Fringe) e vindo se apresentando em praças da cidade do Rio de Janeiro. Com os espetáculos: "Cordel da Morte Morrida e as vezes Matada" com o personagem "O Anunciador" e "O que é que esse baiano tem?" com o personagem "Durval' e "Dorival Caymmi"

                                         ROBERTA BAHIA

ROBERTA BAHIA é fonoaudióloga, atriz formada pelo Técnico do teatro Universitário da UFMG, professora de Expressão Vocal, atuou nos espetáculos O Despertar da Primavera em 2001 e 2002; Fuentovejuna (2002); Drama de Martins (2003); Todas as mulheres são Maria (2003 e 2004); Troianas (2003, 2004, 20005); Amores Profanos (2004); O Filho do Cão (2006); Juguetes peregrinos (2011). Além de participar como autora e encenadora da cena “Como Conquistar ou perder seu Cliente: Uma questão de postura”, apresentada no Congresso do Fonoaudiólogo Empreendedor em 2004 e assistente de direção, preparadora vocal e maquiadora da peça “Paciente X” no XIX Congresso de Medicina Psicossomática em 2004. Com o Grupo Teatral Aslucianas atuou nos espetáculos Cordel da Morte Morrida (e, as vezes, matada), O que é que esse baiano tem? e Do Oiapoque ao Chuí, o Brasil é bem aqui!, Beleza Negra, Essas Mulheres... e Sorrio Maravilha

                                                            GIOVANNA QUINTO

Giovanna Quinto é atriz paulistana, 22 anos, iniciou sua carreira no ano de 2005. Atualmente se gradua pela Cal – Casa das Artes de Laranjeiras (RJ). Durante o seu processo de formação estudou na Escola Livre de Teatro (ELT), foi aluna de Alexandre Tenório e Edgar Castro e participou de oficinas e cursos com artistas do cinema e televisão brasileiros, como Luciana Canton, Miguel Rodrigues, Anselmo Vasconcellos, Karina Barum e Paco Abreu (Studio Fátima Toledo). Na televisão, participou da série “Tapas e Beijos” da TV Globo (2014 e 2013). Em cinema, atuou nos curtas-metragens: “Sinar: O Último Reinado” (2012); “Política da Boa Vizinhança” (2012); “Além do Feijão com Arroz” (2012); "Posso Deixar uma Caixa na sua Casa?” (dir. Vinicius de Oliveira, 2012); “A Quarta Dimensão” (dir. Anselmo Vasconcelos – 2012); “Vigília” (2012); “Jogaram um Urso de Pano no Meio da Rua” (dir. Gustavo Haddad, 2012); “Outono” (2011); e “A Flor da Noite” (2011). Em teatro, protagonizou o musical infantil “Alice no País das Maravilhas” (dir. João Batista – RJ - 2013); atuou nos espetáculos: “Assim é, se lhe Parece” (dir. Antônio De Bonis – RJ – 2014); “A Volta ao Mundo” (espetáculo circense pela Escola de Circo Crescer e Viver – RJ - 2014); “Engatilhado” – peças curtas de Anton Tcheckhov (dir. Marcelo Morato – RJ – 2013); “O Mágico de Oz” (dir. Juliano Bertholdi – 2011- 2012); “Um Inimigo do Povo” (de Henrik Ibsen – dir. Edgar Castro – 2011); “A Loucura Americana” (dir. Alexandre Tenório – 2011); “Viajantes do Tempo” (dir. Darci Figueiredo – 2011); “Camino Real” (de Tennessee Williams)

  

                      GRAZIEL OLIVEIRA

Graziel Oliveira é ator, professor e produtor cultural, formado pela Escola Tecnica de teatro e Dança (FAFI). Atua no  Espirito Santo há 6 anos, executando e levando atividades culturais como espetáculos e oficinas para sesc, casa de espetáculo espaço aberto entre outros. a 6 anos como integrante do "Auto da Paixão de Cristo" da cidade de Vitoria ES direção de Verônica Gomes, atual presidente do SATED/ES integrou o elenco do grupo paiol da ciade do espirito santo e grupo HB Produçoes artiticas atuando como produtor tecnico e ator. na area da educação foi oficineiro do projeto mais educação do governo federal ministrando oficinas de corpo e teatro para jovens de escolas publicas  Atualmente reside na cidade do Rio de Janeiro integrando o  elenco  do Grupo Teatral Aslucianas desenvolvendo uma pesquisa contínua sobre o uso transversal de ferramentas artísticas e culturais nos processos de criação coletiva



                        CÍNTIA TRAVASSOS

Nascida no Rio de Janeiro, atriz, cantora,produtora cultural e fundadora do grupo de brincante de Cultura Popular “As Panambis”. Formada em Contabilidade pela Universidade Gama Filho, atua em diversas linguagens artísticas como cinema, teatro e televisão. Foi palestrante na CEFET na Semana de Extensão sobre o curta metragem Marcas da Violência.Foi agente de capacitação Cultural no Fórum Mundial de Salvador/BA pelo Grupo GAS.Participou de oficinas como de Eugênio Barba e Júlia Varley – A arte secreta do ator;Dublagem na Gemini Média com Fernanda Crispim;Canto lírico com a solista portuguesa Antonieta de Bregan entre outros. Atuou em diversos espetáculos na Cia teatro da estrutura, Ciclomaticos DNA, Grupo GAS, entre outros. Participou de vários festivais pelo país e foi indicada como atriz coadjuvante no espetáculo As flores da Obsessão (Ciclomáticos DNA) no Festival da fetaerj em 2015 e com o Grupo teatral Aslucianas atua nos espetáculos Essas mulheres onde recebeu o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante no II Festival Nacional de Teatro Carpe Diem em 2016; Sorrio maravilha e Cordel da morte morrida (e ás vezes matada).